Adoção!

Eu sei, entendo que toda mãe quer gerar o seu próprio filho, mas chega um momento que todas as forças e meios já foram esgotados e a ideia é entregar para Deus. E vejo o quanto é difícil o casal optar pela adoção, essa decisão é uma grande mudança, algumas vezes uma mudança maior do que a gravidez. Pois mesmo que a gravidez seja planejada e esperada ela chega quando Deus quer, mas "teoricamente" a adoção não. Eu digo teoricamente, pois passar por todo aquele processo até a criança chegar aos teus braços é algumas vezes maior do que uma gestação e muitas vezes também frustrante e chega quando Deus quer.
Aí para ajudar vocês, vou contar a minha história. Eu não sou adotada, mas tenho um irmão que é.
Já contei aqui que a minha mãe é mãe solteira, mas ela tem um coração enorme que não cabe no peito e quer sempre ajudar a todos, sofre muito por isso e não seria diferente com crianças.
Antes do meu irmão chegar lá em casa, eu já tinha uma prima que foi criada como minha irmã lá em casa. A Adriana tem 6 anos de diferença de mim, eu tinha 2 anos e ela 8 quando começou a morar lá em casa. Então na verdade, tenho 2 irmãos adotivos, mas quase. Pois a Adriana, a minha tia tinha poucas condições e a minha mãe disse que poderia criá-la melhor e minha tia aceitou.
Já o meu irmão o negócio foi mais sofrível. O Fernando é meu primo de 2º grau (olha a loucura), a mãe dele minha prima queria muito ter filhos, depois de milhares de tentativas frustradas conseguiu engravidar. O Fernando nasceu, aquela festa, até que quando ele tinha 1 ano e 3 meses, ela cansou de brincar de casinha, se separou do pai dele e nenhum dos dois achou que estava afim de continuar com a responsabilidade de serem pais. Prefiro nem comentar o que eu acho, ainda mais agora que sou mãe.
Aí nesse pra cá e pra lá, o Fernando parou lá em casa. Minha mãe teve a guarda provisória dele por um tempo até ter a definitiva. Aconteceram vários problemas nesse meio, com relação ao relacionamento com a mãe dele, mas é tanta coisa que seria uma loucura contar, precisaria de mais e mais posts.
Mas o que eu posso dizer é que não é super fácil ser mãe de uma criança gerada em outro ventre, pois ela vem com uma bagagem que muitas vezes desconhecemos. Até mesmo nós que éramos parentes, não sabíamos o que acontecia no dia a dia dele antes dele ir lá pra casa. 
O nosso estilo também não foi muito fácil, pois como a minha mãe sempre teve esse super coração, ela não negava as visitas do pai e da mãe e isso muitas vezes não fez bem ao Fernando. Até porque lá em casa ele não tinha uma figura masculina e quando o pai dele aparecia para ele, ele era o herói que levava doces, balas e passeava com ele na pracinha. Definitivamente, para uma criança, isso não tem comparação, enquanto minha mãe era a que mandava ele comer verduras, feijão com grão e "obrigava" ele a fazer as tarefas da escola.
A adoção é um ato de amor, não existe preocupação se será o mesmo amor que o do filho que foi gerado na barriga. Ele é o mesmo! São as mesma preocupações, o mesmo amor, as mesmas brincadeiras, os mesmos passeios.
Claro que a adoção do meu irmão não é a mesma que acontece em quase 100% dos casos, ela é uma adoção para criança muito mais complicada, pois todo o vínculo não foi cortado. Eu tenho contato com pessoas que tem filhos adotivos e vejo que nessa parte é muito mais "fácil". 
A criança sempre terá gratidão e muito amor, pois sabe que aquilo foi muito maior do que uma opção, foi buscada, passou por vários termos burocráticas e a pessoa se abriu para uma criança que não tem laços sanguíneos, mas terão laços de amor eternos.
O meu exemplo não é o mais comum, sofremos muito com cada etapa que passamos em ele. O Fernando não comia, teve anemia profunda, a mãe dele uma época resolveu ser mãe novamente, ele sofreu com isso, teve terror noturno e lá sei eu todas as rezas que a minha mãe fez. E por isso que sempre vi o grande amor que ela tem por ele e que nós temos por ele. É aquilo, ponto, ele é meu irmão. Ele pode não ter sido gerado na barriga da minha mãe, mas, definitivamente, foi gerado no coração de todos nós.

Minha formatura no Direito

E ele nem pode ver esse post, porque ele é um mala e vai se achar!eheheh

Malu e o tio "Finando"

Comentários
1 Comentários

1 comentários:

  1. Casinos in Malta - Filmfile Europe
    Find the worrione best Casinos in Malta including bonuses, games, games and the filmfileeurope.com history https://septcasino.com/review/merit-casino/ of games. https://deccasino.com/review/merit-casino/ We cover all the main reasons 바카라 사이트 to visit Casinos in

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...