Amamentação | parte 2

como amamentar melhor

Como eu prometi aqui vai outro post sobre amamentação, pois ainda faltaram algumas coisinhas para falar.
Algo que eu não falei foi, não existe leite fraco!!! Não sei quantas vezes eu escutei essas besteiras. 
Eu tinha uma diarista maravilhosa que trabalhava lá em casa quando a Malu era bem bebezinha e ela era das antigas e vinha com essa história de leite fraco e de tudo que eu tinha que tomar pra deixar o leite mais grosso e que ela achava que a Malu mamava demais e que eu poderia dar um leite artificial pra ela, pra Malu dormir mais durante o dia. 
E também perdi as contas de quantas vezes eu explicava pra ela que não tem leite fraco e que a diferença do leite do peito para o leite artificial, é que o leite do peito é mais fluido e faz com que a digestão seja rápida. Enquanto o leite artificial pesa no estômago e demora bem mais pra digestão ser feita, fazendo com que a criança demore pra querer mamar novamente. E eu não ia dar leite artificial tendo leite de sobra no peito, sem a mínima necessidade.
Algo que deixa qualquer mãe maluca é quando se tem muito, mas muito leite e o negócio começa a "empedrar". Aconteceu isso comigo, tanto que contei que até febre eu tive, mas tem como evitar, tendo cuidado desde o início.
Providencie uma bombinha para retirada de leite, existem algumas cidades que o banco de leite fornece por empréstimo (e pode ser que seja apenas para doação, mas podes doar sem problema, pois leite não faltará pro teu filho) ou também lojas especializadas para aluguel de bombas. Eu aluguei no Rio e foi ótimo, pois foi muito necessário. Resolvi alugar por dois motivos, um para tirar o leite em excesso que causava a dor e outro pra armazenar leite, caso eu precisasse sair e demorasse um pouco mais e assim a pessoa que ficasse com a Maria Luísa poderia dar. Mas é claro que depois que eu aluguei a bomba eu nunca mais precisei guardar leite pra Malu, coisa normal. Eu até retirava e guardava, mas usei muito pra testar se ela pegaria mamadeira. No começo eu cheguei a pegar uma emprestada com a minha cunhada, mas como eu via que não saía muito leite comecei a pesquisar outras e achei uma muito boa que foi a que eu aluguei, mas depois conto um pouquinho da diferença delas e quais seriam boas de comprar em outro post.

amamentação
Um tipo de bomba, essa foi a que eu aluguei

Depois de uns 3 dias que o bebê nasce é que o leite desce com tudo, mas o bebê ainda não consegue dar conta de tanto leite e pode acontecer do teu peito ficar muito cheio, então a bomba te ajuda nisso. E podes guardar esse leite pra dar pro teu bebê depois, e isso pode acontecer até mesmo tu estando em casa, quando estiveres no banho e o bebê acordar, o papai pode providenciar rapidamente uma mamadeira para esperar que tu chegues. Mas o principal é para retirar o leite em excesso e diminuir as dores que podes ter.
As pessoas mais radicais são contra dar a qualquer hora mamadeira, mas não será uma que fará com que o teu bebê não queira mais mamar no peito. Só procure uma boa que não saia o leite com tanta facilidade, pois o bebê não está acostumado com tanto leite ao mesmo tempo e pode se afogar.
Outro item é a concha de amamentação, ela será super útil, uma por que nela fica o leite que vai saindo, outra por ajudar na formação do bico do seio, então o bico já fica certinho pro bebê mamar. E o mais importante, ela renova o leite e isso faz com que o teu peito não "empedre"

amamentação

Eu vivia com a concha, aí numa das primeiras visitas a pediatra da Malu, ela me disse que poderia usar aqueles absorventes para o seio e não precisava ficar sempre com a concha. Foi um erro enorme, pois eu resolvi usar o absorvente e o peito ficou gigantesco, foi nesse momento que a minha amamentação deu um pequeno problema, pois o absorvente não ajuda na renovação do leite e chega a impedir que o leite saia um pouco, na verdade vaze, já que o bebê não está mamando. Quando aconteceu isso falei com a minha médica, pois já estava apavorada, e ela me disse que eu não poderia ficar sem a concha, pelo menos no começo, pois a produção de leite ainda estava muito grande e não adaptada aos horários do bebê. Então voltei pra concha todo o dia e foi normalizando.
No começo eu ficava toda suja de leite, mesmo com a concha, pois muitas vezes a concha ficava super cheia e era eu me agachar que o leite virava todo. Só que a espertinha aqui nunca tinha lido uma dica que vinha na embalagem da concha e que eu só soube quando disse ao meu marido "acho que vou colocar o absorvente do seio dentro da concha" e ele me disse "não, coloca algodão". E eu achando ele super esperto disse "caramba, boa ideia, muito melhor" aí ele conta "mas tava escrito na embalagem da concha, tu não leu?" Juro que eu tive vontade de responder "li, mas eu adorava ficar fedendo a leite". Então coloque algodão dentro da concha, é excelente e acaba com aqueles inúmeros derramamentos de leite, além de parecer ficar mais higiênico. 
E nunca, nunca, mas nunca, junte aquele leite que fica na concha para dar ao seu bebê, pois ele não presta!!!! 

amamentação

O que eu vou dizer agora tem que ser usado com moderação e depois que conversares com o teu médico pra ele ter certeza dessa necessidade. Eu tinha muito leite, mas muito leite mesmo, água morna no banho e alguns jatos na parede se iam. Então quando eu tive o princípio de mastite somente a ordenha não adiantava e eu sofri muito, pois foi muito rápido esse processo, em 1 dia meu peito começou a ficar enorme e logo já começou a febre e as dores de não poder baixar o braço. Quando fui na minha médica ela me disse o seguinte, ordenha o máximo que tu puderes e esvazia a mama, depois da mama esvaziada coloca água gelada, pois vai contrair os vasos e diminuirá a produção de leite e conforme a Maria Luísa for mamando tudo vai normalizando. E foi assim que eu fiz, mas pra vocês terem noção, meu peito tava tão enorme que eu "esvaziei" a mama, mas ele continuou gigante, mas depois de mais ou menos uns 2 dias tudo foi ficando normal.
Eu não colocava a água muito gelada e nem por muito tempo, pois a minha ideia era diminuir um pouco  e não muito e conforme ela fosse mamando saía o excesso de leite. E tens que falar com o teu médico, porque só ele pode avaliar se tens muito leite ou não, já que podes fazer isso e o teu leite diminuir muito o que não é o ideal.
Mas com certeza tem gente que tem o problema contrário, pouco leite, então o negócio é estimular a produção como eu já falei no post anterior. O leite é produzido com água, então tens que te acabar tomando água e água mesmo, não inventa sucos de caixinha, refrigerante ou qualquer outra coisa, no máximo tente sucos naturais. E muita sucção, esqueça aquela história de que o seu bebê fica muito tempo no peito, deixa ele com o tempo dele, se quiser ficar bastante tempo no começo, pode deixar. Quanto mais ele mamar melhor e nada melhor do que a livre demanda.
Sim, algumas vezes os médicos passam algum tipo de remédio para estimular a produção, sei que existem alguns spray's nasais que servem para isso e também já ouvi em grupos de mães falarem que existe um remédio para tomar que seria bom, mas não tente nada disso antes de falar com o teu médico. Somente ele pode dizer se tens pouco, muito ou uma produção normal de leite. Então não faça nada antes de consultar um médico!
Outra dica importante, muitas já viram fotos, filmes e até ao vivo mães que tem mania de apertar o peito pra segurar e acham que estão ajudando seu filho a mamar melhor, mas não estão. Quando tu apertas o peito tu dificultas a passagem do leite o que vai diminuir a quantidade que o teu bebê mama, então somente posicione o peito para o seu bebê mamar e deixe que ele mame sozinho, no máximo segure o peito sem apertar, apenas para dar suporte.

como amamentar
Assim não pode

como amamentar

como amamentar
Pode segurar, mas não apertar, exatamente como essa.
Aqui em casa, eu dei de mamar incansavelmente pra Maria Luísa, algumas vezes, no começo, ela queria mamar de meia em meia hora, mas aos poucos tudo foi normalizando. Dê de mamar, principalmente quando eles são muito pequenos, em um lugar calmo, sem muita conversa. Evite conversar enquanto tu dá de mamar e evite o celular nesse momento. Caso alguém te ligue nessa hora, peça desculpas e explique que estás amamentando, pois o bebê normalmente fica ansioso e pode mamar demais ou de menos, então evite.
A Malu quando maiorzinha, se eu resolvesse conversar com alguém enquanto ela mamava, ela parava pra observar a conversa, então demorava muito mais o tempo da mamada e no fim ela nem mamava direito. Eu tinha que pedir desculpas e parar de conversar. 
Outra coisinha que é muito bom observar no teu bebê é se ele não mama em excesso, a Maria Luísa tinha vezes que fazia isso, especialmente quando mamava os dois seios numa mamada só. Ela mamava muito e era certeiro que viria uma enxurrada de leite depois, por isso que deixava ela esvaziar completamente o primeiro seio e não oferecia o segundo, somente se ela reclamasse, pois como ela sempre foi gulosa, mamava o outro peito e depois tudo ia pra fora. 
Mais uma coisinha, não escute o que os outros falam, só quem sabe o melhor pro teu filho é você mesma. Aos poucos vais conhecer o choro do teu bebê e saberás que nem sempre o que ele tem é fome, mas com certeza escutarás alguém dizendo "é fome, dá logo o peito pra essa criança", ignore e faça o que achas ser melhor. Para teres uma amamentação excelente não podes dar ouvidos ao que os outros falam e tens que estar calma, pois essa calma passará para o teu filho e ele sempre estará tranquilo e fará uma pega boa e mamará super bem.
A Maria Luísa não teve amamentação exclusiva até os 6 meses, pois optei levar em consideração as orientações da pediatra e começar com suquinhos aos 4 meses. Não fiz nenhuma substituição, só acrescentei um horário, a Maria Luísa continuava mamando nos mesmos horários e não diminuía o tempo das mamadas. Achei muito bom, pois não tive problema com a inserção de qualquer tipo de alimento depois e até hoje ela come super bem.
A Malu mamou até os 9 meses, mas não por vontade minha, mas por vontade dela. Ela simplesmente me largou, pois preferia comer a mamar e isso é até hoje, ela gosta de tomar leite, mas nunca trocar a refeição dela por leite. Tanto que muitas vezes janta e se estiver cansada nem lembra do leite, já algumas crianças não dormem se não tomarem leite. 
Ela começou a demonstrar que não queria mais mamar tanto no peito aos 7 meses, quando começou a jantar. Uma vez nós em um voo, voltando pro Sul, fui dar de mamar a ela e ela não quis saber, pois era hora de jantar (isso que ela tinha acabado de começar na janta) e ela começou a chorar escandalosamente, a sorte que tínhamos bolacha maisena dentro da bolsa dela e foi a nossa salvação. E mesmo depois de ter comido ela não quis saber de mamar. Assim, ela largou a mamada que tinha mais ou menos 1 hora depois da janta. 
Aos pouquinhos fomos testando o leite artificial e ela foi tomando à noite, até que começaram a vir os dentes todos de uma vez e ela começou a morder o meu peito, até que depois de várias tentativas, deixei de lado e aceitei que ela tinha me largado. Foi bem triste pra mim, me senti meio perdida, mas vi que foi o melhor, pois nunca me via tendo que fazer esse processo de desmame por minha própria vontade.
Durante todo o período de amamentação eu não usei a concha exclusivamente, não tem necessidade, usava o absorvente mas só podes fazer essa troca quando a amamentação já está normalizada. Era ótimo, pois era discreto e não incomodava como a concha. Eu cheguei a ganhar o Mamare, ele tem um gelzinho que é refrescante e gruda na pele, muito bom, só tens que limpar o peito antes de dar de mamar. Ele é um pouco caro e por isso não comprei novamente, pois ele dura mais de uma vez, mas comigo eu não consegui fazer mais de um uso, pois era tanto leite que chegou a vazar. O bom é ir testando.
Assim com comida que podes ou não comer, eu evitei vários tipos, pois alguns realmente davam cólica na Maria Luísa, como também uma vez que eu comi pimenta e ela assou. Mas quando ela foi ficando maiorzinha eu fui testando novamente e via que algumas coisas eu já conseguia comer sem problema e depois que ela começou a comer é que ficou muito mais fácil. E tens que tentar sempre ter uma alimentação variada, pois passa para o leite mudando o gosto dele e quando o bebê começar a comer fica mais fácil a aceitação de todos os alimentos, essa foi regra da própria pediatra neonatal da Malu.
Então tenha uma alimentação variada, tome muita água e tenha uma amamentação maravilhosa!

como amamentar
Amamentando a Malu com 3 meses no seu Batizado


Beijos. 
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...