Cardiopatia Congênita

E hoje é dia de falar de coisa muito séria, já contei aqui que levei um sustinho na ecocardiografia fetal da Maria Luísa que tinha dito que ela tinha um probleminha no coração, fiquei super assustada, mas graças a Deus ela nasceu sem nada. A minha médica me passou, pois o meu plano cobria, mas não é comum que seja pedido.
Mas o que é Cardiopatia Congênita que eu coloquei no tópico?
Cardiopatia Congênita é qualquer anormalidade na estrutura ou função do coração e que surge nas 8 primeiras semanas de gestação no momento que se forma o coração do bebê. Mesmo que seja descoberto no nascimento ou mais tarde é uma alteração que ocorre no desenvolvimento embrionário da estrutura cardíaca. 
É um defeito congênito mais comum e é uma das principais causas de óbitos relacionadas a malformações congênitas. No Brasil, nascem, aproximadamente, 23 mil crianças com problemas cardíacos por ano e isso quer dizer que entre 100 nascimentos 1 bebê é cardiopata.
E desses bebês que nascem com problema cardíaco por ano, 80% precisará de uma cirurgia cardíaca, mas cerca de 13 mil não recebem o tratamento necessário, sendo por não terem sido diagnosticados ou por falta de vaga na rede pública. 
Mas as mortes por decorrência de cardiopatia congênita poderiam ser drasticamente reduzidas se todos os cuidados de pré e pós natais fossem devidamente instituídos. Para vocês terem uma noção a incidência de cardiopatia congênita é 8 vezes maior do que a Síndrome de Down. 

Tá, mas como é que eu descubro se meu bebê pode nascer com algum problema? O ultrassom morfológico do segundo trimestre pode te dizer além do sexo do bebê se o coração do seu filho está bem. Caso apresente alguma alteração o médico deve solicitar a ECOCARDIOGRAFIA FETAL. 
Neste exame o especialista fará um ultrassom específico do coração do bebê e aí dirá se o seu filho precisará de acompanhamento de um cardiologista ou não.
A ecocardiografia não é feita somente neste caso, esse exame é indicado para todas as gestantes que:
- tenham mais de 35 anos; 
- já tiveram filhos ou outros familiares próximos com cardiopatia congênita; 
- tem diabetes ou lupus; 
- tiveram doenças como toxoplasmose ou rubéola durante a gestação;
- utilizaram na gestação medicamentos como: anticonvulsiovantes, antinflamatórios, ácido retinóico, lítio, entre outros;
- estão esperando gêmeos ou múltiplos;
- cujo feto apresente alteração no cariótipo (suspeita de síndromes), na translucência nucal (ultrassom de 12 semanas) ou em algum outro órgão.

Certo, mas meu filho já vai nascer e eu não fiz esses exames, o que eu posso fazer? Existe o "Teste do Coraçãozinho", ele é uma oximetria de pulso que pode ser feito na maternidade. E ele é simples, indolor e não invasivo. É usado para monitorar o nível de oxigênio no sangue do seu bebê. Quando os níveis de oxigênio forem inferiores a 95% isso pode indicar a possibilidade de haver algum defeito no coração. E assim o bebê passará por outros exames para avaliação.
E ele é feito assim:


Meu filho já saiu da maternidade faz um tempo como posso saber se o meu filho tem algum problema? Claro que tu já podes tentar pedir exames ao médico, mas podes ver em casa mesmo se o teu filho apresenta alguns sintomas, que são: 
Se o teu bebê:
- tem a ponta dos dedos ou os lábios roxos;
- transpira muito e se cansa durante as mamadas;
- respira em ritmo acelerado enquanto descansa;
- dorme excessivamente e parece irritado com frequência;
- tem pouco apetite associado a baixo ganho de peso.

Se a tua criança:
- fica muito cansada em atividades físicas e não acompanha o ritmo dos amigos;
- não cresce e não ganha peso de forma adequada;
- tem infecções respiratórias com frequência; 
- fica com os lábios roxos e a pele mais pálida quando brinca muito;
- reclama que o coração está acelerado.

Resolvi falar detalhadinho pra vocês, pois eu fiquei angustiada quando soube que a Malu poderia ter alguma coisa no coraçãozinho, imaginei todas as mães que descobrem e não tem quem ajude ou que vão descobrir depois que o bebê nasceu. E algumas que veem todos esses sintomas nos filhos e acham que é normal ou alguns pediatras dizem que é normal de criança, caso aconteça isso procure outro médico e peça exames. Eu sou daquelas que prefere pecar pelo excesso do que deixar pra lá e depois ser muito pior.
E vocês sabem onde eu consegui todas essas informações? Na Associação de Assistência à Criança Cardiopata - Pequenos Corações. Ela é uma entidade sem fins lucrativos, com sede em São Paulo e atuando em todo território nacional, presta assistência às crianças acometidas de Cardiopatia Congênita e suas famílias.
Eles tem como principal objetivo orientar e auxiliar as milhares de família com crianças cardiopatas no Brasil, pois lembrem  que 23 mil nascem a cada ano, para que as mesmas tenham acesso e tratamento adequado e tenham uma vida feliz.
Desejam ampliar ainda mais a atuação deles, mas o principal foco é esclarecer e sensibilizar a comunidade e autoridades políticas ligadas à saúde sobre a importância da Cardiopatia Congênita, do diagnóstico precoce, e do tratamento adequado, no tempo certo. E juntar a todos para conseguir soluções e viabilizar projetos para se criar políticas públicas voltadas ao cardiopata congênito.

Pelo meu grande interesse eu entrei em contato com os Pequenos Corações e a Larissa maravilhosamente me mandou vários folders explicativos e também como podemos ajudar a Associação e as famílias que passam por esse problema. Pois vocês não tem ideia de como é sério e de como a saúde pública tem um déficit enorme no tratamento desses casos. Tanto que eu soube da Associação através do programa de rádio Pretinho Básico, onde eles contavam de um caso de um casal que eles conheceram, daqui do Rio Grande do Sul, que daqui uns dias iriam para São Paulo para o nascimento da filha. Pois a menina precisaria de uma cirurgia cardíaca logo que nascesse e viram que somente lá ela teria a assistência necessária. Eles são pessoas que apresentam condições financeiras para fazer isso por conta própria, mas tantas outras famílias não contam com isso e precisam de ajuda, então nós podemos fazer isso contribuindo com os Pequenos Corações.
Existem várias formas de ajudar: 
- tu podes ser um mantenedor mensal;
- fazer apenas doações esporádicas na conta:

BANCO DO BRASIL 
Agência: 3386-3
CC: 18603-1
CNPJ: 12.642.388-0001-03

- outra forma é itens de higiene e limpeza, pois atualmente eles estão mudando para uma nova sede e estão precisando de muitos itens. E pro pessoal que não é de São Paulo tem como fazer a compra online no Supermercado Extra http://www.deliveryextra.com.br e mandar entregar no endereço deles que é:

Associação de Assistência à Criança Cardiopata - Pequenos Corações
Sede Social: Rua Raul Carmilo, nº 58
CEP: 01323-060 - Bela Vista - SP
Telefone: (11) 2778-0011

- eles sempre precisam de kit higiene para as mamães e os bebês,
para as mamães:
- shampoo
- condicionador
- absorvente
- desodorante
- creme dental
- escova de dentes
para os bebês:
- sabonete líquido infantil
- hidratante infantil
- shampoo infantil
- cotonetes
- manteiga de cacau líquida

E ainda tem como adquirir os produtos deles 
1. camisetas: as de adulto custam R$ 25,00. As infantis R$ 20,00. 
2. Kits Pequenos Corações: 1 boné, 1 chaveiro, 1 adesivo para carro, 1 boton, 1 caneta, 1 ecobag. Valor R$ 25,00.
3. Calendários: R$15,00 e vem um calendário de mesa e outro de parede grátis.

Mamães e gravidinhas observem bem os seus pequenos e façam os exames necessários e ajudem, tanto divulgando a Associação como contribuindo, pois alguém próximo pode precisar dessas informações e da nossa ajuda.

Beijos.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Parabéns pelo excelente trabalho e pela postagem muito esclarecedora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada!!! E fico muito feliz pelo reconhecimento.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...